terça-feira, 29 de outubro de 2013

Não Gosto de Títulos

Bom, eu sei lá viu, estive olhando minhas primeiras postagens e vendo o quanto eu mudei rs, minhas utopias mudaram, meus gostos (exceto odiar a cor rosa) minhas gírias..
Como o tempo passou rápido, 2010 foi um bom ano, tive experiências extraordinárias com pessoas incríveis, algumas eu fui perdendo ao longo dos anos, outras acredito que nunca tenham me pertencido mas tudo isso me agregou, acredito que por mais louca que seja sou uma Garota de 16 anos muito madura, que passou por experiências inacreditáveis e perdas descomunais.
Olhando de fora alguns diriam, 16 anos? Porra, mas ainda tem muito pra viver. E tenho mesmo, muito, mas isso não faz com que eu não tenha vivido muitas experiências antes disso, já que sempre fui "precoce" aos julgamentos de terceiros, enfim, lendo as postagens notei o quanto ainda era inocente. Sinto saudades de muitas coisas daquela época, inclusive de mim, escrever já não é algo que faço com tanta frequência como fazia, antes, quando algo ficava complicado demais e eu não sabia o que fazer eu escrevia, como se aquilo pudesse me ajudar, no final das contas ajudava mesmo, mas depois de um tempo eu passei a me preocupar com outras coisas, fui parando de escrever e quando me sentia mal eu pirava velho, eu começava a ler um livro de 300 páginas às 08h  e quando era 10h eu já tinha lido e relido ele 10 vezes, fui esquecendo minha essência, desaprendi algo de bom que eu sabia fazer, é claro que erros de ortografia sobravam no meus textos, e ainda sobram é claro rs, mas eu sabia fazer aquilo, que louco meu, era só colocar os dedos no teclado e quando percebia tinha escrito vários textos bacanas até, estranhos confesso, pois nunca fui normal  mas eram bacanas. Ter perdido partes de mim, é estranho e doloroso, prefiro como era no passado, acho que minha inocência me fazia sonhar mais, ter mais esperança de um futuro melhor, agora, trabalhando, estudando e tendo  que agir como adulta a maior parte do dia 
não dá tempo de sonhar.
Apesar de todas as mudanças ainda sou a mesma problemática, estressada, ciumenta, marrenta, folgada, autêntica, safada e sem vergonha de sempre haha, gosto disso.

A coisa que sinto mais falta é ele, que me fazia suspirar mesmo nunca tendo o visto, que fazia rir e me mandava emails diariamente, que imaginava um futuro comigo e me valorizava, mesmo eu nunca fazendo isso, me sentia segura quando falava com ele, quando conversávamos sobre tudo e sobre nada  ao mesmo tempo, quando falávamos como ia ser nosso casamento, nossos filhos, nossa casa. Passei anos, esperando uma única ligação dele, esperando ele dizer vem aqui me encontrar eu to aqui pô, na verdade, acho que espero por isso até hoje, poder realizar todos os desejos que sonhei por muito tempo, poder tocá-lo, beija-lo e fazer amor por horas sentindo ele encaixado nas minhas entranhas, grudados, como se ao realizar isso, fossemos um só.
Bobagem, o tempo passou, e agora ele é de outra, que como ele disse "nunca foi embora" eu também não, tive várias vírgulas mas nunca um ponto final, porque hoje, com tudo que aprendi, percebi que o amo, do meu jeito, o amo loucamente, e isso para mim, basta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário