sexta-feira, 26 de agosto de 2011



Eu fiquei muito tempo parada observando a carta que ele me escreveu. Fiquei analisando cada palavra e me perguntando o motivo dele ter usado-as. Fiquei pensando porque escrevê-la daquela maneira..Detalhada. Era apenas uma carta, mas esperava tanto por ela, esperava ansiosamente para saber o que vinha escrito na mesma, lendo-a fui ouvindo a voz suave dele, como sempre ouvi pelo telefone. Foi escrita para mim, detalhada como eu, ele sempre dizia “Você tem tantos detalhes, que sou incapaz de enxerga-los”. Nunca parei pra pensar nos meus detalhes, mas quis deixar as horas passarem enquanto meus olhos corriam por tantas linhas em uma folha de papel. Ele dizia claramente como me amava, ele não falava “Eu te amo”, ele encaixava as palavras de acordo com os centímetros do meu coração, e eu finalmente o entendi. Não vou me questionar querendo saber se ele me entenderá um dia, mas, o que importa agora é que o entendi. Ele se explicava, ele me respondeu as tantas perguntas que um dia me fiz. Os motivos pelo qual ele não ligava, ele justificou dizendo não querer me sufocar. Os motivos das chatices que nem ele mesmo sabia explicar, ele citou o medo, o medo de me perder para outro alguém. Os motivos pelo qual ele quase desistiu da gente, ele disse claramente “FRAQUEZA”...É, o entendo, porque fui fraca, eu pensei em desistir, mas continuei lutando por ele, mas agora a pedidos dele, irei lutar por mim, ele está oculto, ele está invisível, não o tenho e a pergunta que não me canso de fazer é “Será que um dia o tive?”

Nenhum comentário:

Postar um comentário