quinta-feira, 30 de junho de 2011

De Que Me Serve A Vida?

 
Estou a ponto de embarcar em uma viagem
Com rumo desconhecido,
Não sei se novamente vou te ver.
Não é fácil aceitar ter te perdido.

Por mais que supliquei: "Não me abandone"
Você disse "Não sou eu, é o destino",
E então entendi que ainda que te amasse,
eu tinha que escolher outro caminho.

De que serve a vida
Se não a vivo com você?
De que me serve a esperança,
Se é o última que morre?
E sem você eu já a perdi.

De que me serve a vida
Se és o que eu peço?
Vou atrás da sua ternura,
mas não me resta dúvida,
Que me deixas sem teus beijos.

Escuta bem o que te digo, amor,
Pois acredito que não haverá situações
para dizer que não me arrependo
de ter entregado meu coração.

Por mais que supliquei: "Não me abandone"
Você disse "Não sou eu, é o destino",
E então entendi que ainda te amava,
eu tinha que escolher outro caminho.

De que serve a vida
Se não a vivo com você?
De que me serve a esperança,
Se é o última que morre?
E sem você eu já a perdi.

De que me serve a vida
Se és o que eu peço?
Vou atrás da sua ternura,
mas não me resta dúvida,
Que me deixas sem teus beijos

Nenhum comentário:

Postar um comentário